Não poderia ter sido em um lugar melhor! O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, participou na sexta-feira (30) do evento “Democracia e Direitos”, promovido pela Força Sindical na sede do Sindicato dos Metalúrgicos no centro de São Paulo, onde discursou afirmando que às redes sociais estão “colocando em risco valores democráticos”.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista é considerado o berço do Partido dos Trabalhadores (PT), pois foi lá que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, que hoje está preso por corrupção, liderou o movimento de trabalhadores que fez surgir o maior partido de esquerda do Brasil desde então.

O mesmo Lula que nomeou Dias Toffoli para o cargo de ministro no STF durante o seu governo, após ele prestar longos serviços como advogado ao PT. Assim, não é surpresa que Toffoli apresente em seu discurso insinuações de cerceamento à liberdade de expressão, ao dizer que as redes sociais ameaçam os “valores democráticos”.

“As redes sociais hoje, ao invés de promoverem a solidariedade e uma relação humana entre as pessoas, disseminam o medo gerando o ódio, colocando em risco valores democráticos”, disse Dias Toffoli em seu discurso no Sindicato, segundo o portal do STF.

Ora, Toffoli usa como justificativa do seu argumento a existência de notícias falsas (“fake news”), como se isso fosse uma novidade dos tempos atuais, o que não é. Informações falsas sempre existiram desde a fundação da República. Os canais de TV e rádio já disseminavam informações falsas no século passado. O que mudou?

A mudança substancial é que hoje a população possui recursos próprios para saber o que é falso ou não, e não só isso. A própria população também consegue produzir suas próprias informações. Diferente do passado, hoje o público contrapõem ao que lhe é apresentado como “verdadeiro”, de modo que a grande mídia, por exemplo, não possui mais o monopólio da informação.

É verdade que esse mesmo poder de informação produzido pela internet potencializou a disseminação de notícias falsas. No entanto, de modo algum ele representa um risco aos valores democráticos. É justamente o contrário! É a própria liberdade de informação que produz mecanismos de combate às “fake news”.

Isso porque, ao invés de restringir, a internet expande o acesso à informação, permitindo que o usuário seja o seu próprio filtro. O contrário disso seria a implantação de mecanismos reguladores (como propõe o PT), e isto sim ameaça os valores democráticos, porque o poder de determinar o que é ou não uma “fake news” recai totalmente sobre o agente regulador, retirando da população essa autonomia.

A única ameaça à democracia, portanto, é quem julga haver risco em um mecanismo que ao invés de limitar, expande a liberdade de expressão, uma vez que dá voz a milhões de pessoas ao mesmo tempo. É isso o que faz a internet e consequentemente às redes sociais.

Em sua fala, portanto, Dias Toffoli demonstra que ele é muito mais uma ameaça ao país do que as tais “fake news” que ele tanto se preocupa em criticar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui