sexta-feira, 19 julho 2024
- Publicidade -
HomePolíticaA realidade da "quarentena horizontal"

A realidade da “quarentena horizontal”

Date:

Related stories

Conselho vota indicação de faixa de pedestre a Patrimônio Cultural Imaterial

Decisão sobre reconhecimento será tomada nesta sexta (19), às...

Sancionada Lei que cria os Conselhos de Juventude do DF

A Lei 7.529/2024, sancionada pelo GDF, foi apresentada pela...

Israel aprova resolução contra criação de Estado palestino

Texto obteve 68 votos a favor, em um Parlamento...

Haddad antecipa anúncio e diz que governo vai congelar R$ 15 bi em despesas

“São R$ 3,8 bilhões de contingenciamento e R$ 11,2...
spot_img

A quarentena está atingindo, em média, 50% dos brasileiros. Não é um “lock down” total. Supermercados, padarias, lotéricas, serviços de delivery, distribuidoras, bancos,  etc. continuam abertos.
Algum de vocês ouviu falar de um funcionário de supermercado infectado?

Se a transmissão é tão violenta, não era para termos um número de casos infinitamente mais alto?

Vamos trabalhar apenas com dados OFICIAIS, ok? Nada de “achismos”. 

De acordo com o SEBRAE, que mapeou os setores mais prejudicados pela quarentena, são 12,3 MILHÕES de empresas, que geram 21,5 MILHÕES de empregos, sendo duramente atingidas. E dessas 600 mil já faliram.

Ainda de acordo com o órgão, 60% das micro e pequenas empresas, responsáveis por mais de 40 MILHÕES de postos de trabalho, estão tendo seus pedidos de crédito NEGADOS pelas instituições bancárias.

Estatisticamente, uma pequena empresa não consegue sobreviver por mais de 23 dias com as portas fechadas. A maioria absoluta dos empreendedores não tem reservas de capital e sobrevive com o giro do negócio.

Estamos na quarta semana de “isolamento”. Então, façam as suas próprias contas. A estimativa é que as “medidas de contenção ao Covid” criem de 5 a 10 milhões novos desempregados mensalmente no país.

Então teremos milhões de órfãos dos planos de saúde na fila do SUS.

Aí sim iremos descobrir que não há “achatamento de curva” que salve os hospitais. A palavra “colapso” vai ser entendida da maneira mais amarga possível.

“Ahh, mas precisamos evitar o pico do contágio.”  Qual pico?

A cada novo pronunciamento, o Ministro da Saúde Mandetta apresentava um novo pico matematicamente calculado por especialistas. Já foi em março, mudou para abril, passou pra maio. Mas é pura ciência. Irrefutável!

“Ahh, mas na Itália e nos EUA estão tendo muitas mortes.”

Se o José tiver intolerância a lactose, o João tem que parar de beber leite?
CADA CASO É UM CASO.

Maior prova disso, como já disse no começo do texto, é que NÃO ESTAMOS em um “lock down”, como Itália e EUA. Ainda assim, temos baixo número de infectados e letalidade menor que nos outros países.

Permanecermos trancados é CRIMINOSO. Bem como é criminoso que políticos utilizem-se de agentes do Estado para coagir cidadãos, enquanto usam dos decretos de “calamidade pública” para driblar a necessidade de licitações e fugir da lei de responsabilidade.

Enquanto você está trancado, apavorado, rastreado pelo governador (como em São Paulo) ou fiscalizado por presidiários (como no Pará), eles estão aproveitando o pânico para fazer farra com o SEU dinheiro.

 

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

3 COMMENTS

  1. A hora é agora, ou o povo se levanta e provoca a atuação das FFAA ou pereceremos de vez. Você que é patriota, preste atenção no que está ocorrendo no país. No momento não importa se vc é de esquerda ou de direita, todos estamos enfrentando a mesma tempestade. Não há ideologia naqueles que estão promovendo o caos no Brasil, a intenção é saquear os cofres públicos e cada um por si, o povo seja de direita ou esquerda que se lixe… É hora de união, reflita!!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here