domingo, 26 maio 2024
- Publicidade - spot_img
HomeBrasilCumprindo Lei, Bolsonaro veta repasse de fundo

Cumprindo Lei, Bolsonaro veta repasse de fundo

Date:

Related stories

DF: foragido da Justiça tenta fugir de bicicleta, mas é preso

Um homem que estava foragido da Justiça foi encontrado...

Morre juiz Nelson Ferreira Júnior, titular da 6ª vara criminal do DF

Juiz titular da 6ª Vara Criminal de Brasília, Nelson...

Aposta simples no DF acerta quina da Mega-Sena e fatura R$ 62 mil

O Distrito Federal é a casa de mais um sortudo a...
spot_img

O presidente Jair Bolsonaro deve de vetar o repasse de R$ 8,6 bilhões de um fundo extinto para o combate à pandemia do novo coronavírus. Na justificativa para o veto, o presidente alegou que a mudança de destinação dos recursos viola a Constituição, que proíbe emendas parlamentares de aumentar despesa em projetos de iniciativa exclusiva do presidente da República.

Bolsonaro alegou ainda que a medida descumpre o teto de gastos, ao não demonstrar o impacto orçamentário e financeiro da despesa no ano corrente e nos dois anos seguintes.Com o veto, os recursos poderão ser usados apenas para o pagamento à dívida pública, como constava do texto original da Medida Provisória 909, editada em dezembro e aprovada em maio pela Câmara e pelo Senado.

Durante a tramitação no Congresso, os parlamentares costuraram um acordo para incluir uma emenda que mudava a destinação dos recursos do Fundo de Reserva Monetária do Banco Central (FRM). Os recursos, que estavam parados, seriam usados para ajudar estados e municípios no enfrentamento à pandemia de covid-19.

Criado em 1966, o FRM recebia recursos de sobras de verbas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) usados para intervir nos mercados de câmbio e de títulos. O fundo deixou de receber aportes após a promulgação da Constituição de 1988 e foi considerado irregular pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em 2016, o que levou o governo a editar a medida provisória de extinção do fundo.

Em sessão conjunta, o Congresso analisará o veto, que poderá ser mantido ou derrubado. Com amplo acordo nas duas Casas, a medida provisória havia sido aprovada por votação simbólica na Câmara (sem registro de votos no painel eletrônico). No Senado, o texto foi aprovado por unanimidade, com o voto de todos os 75 senadores presentes no dia.

(ABr/EBC)

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here