segunda-feira, 20 maio 2024
- Publicidade - spot_img
HomeSaúdeGDF terá que disponibilizar tratamento aos professores com Síndrome de Burnout

GDF terá que disponibilizar tratamento aos professores com Síndrome de Burnout

Date:

Related stories

Milhares de fiéis celebram última missa da 25ª edição de Pentecostes

Em uma tarde repleta de fé e esperança, milhares...

DF: famílias de baixa renda podem ter R$ 15 mil para compra de imóvel

O Governo do Distrito Federal (GDF) pretende criar um...

CLDF: petista chama juíza de criminosa e torturadora; presidente reage

Um militante petista usou a tribuna da Câmara Legislativa...

Bolsonarista que planejou atentado a bomba no DF vai para semiaberto

A Justiça do Distrito Federal autorizou que o bolsonarista...

Motorista de app usava carro para viagens até local de venda de drogas

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) prendeu, na...
spot_img

Projeto de Lei nº 134/2019, que institui tratamento da Síndrome de Burnout aos professores da rede pública do Distrito Federal, foi aprovado, nesta quarta-feira (11), em segundo turno, no plenário da Câmara Legislativa do DF. A proposição, de autoria do deputado distrital, Robério Negreiros (PSD), tem como finalidade garantir aos professores acompanhamento médico capaz de diagnosticar, orientar e tratar o transtorno. A proposta estabelece ainda que a assistência médica será disponibilizada pelo Poder Executivo.

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Brasília (UNB), com mais de oito mil professores da educação básica da rede pública na região Centro-Oeste do Brasil, revelou que 15,7% dos entrevistados apresentam a Síndrome de Burnout, que reflete intenso sofrimento causado por estresse laboral crônico.

De acordo com o Robério Negreiros, esta situação de desmotivação, no caso do professor, afeta fortemente a qualidade da aula, pois eles perdem entusiasmo e criatividade, sentindo, inclusive, menos simpatia pelos alunos e ficando pessimista quanto ao seu futuro. “Como forma preventiva do transtorno, é necessário melhorar substancialmente as condições de trabalho, seja nas relações entre alunos, professores, gestores e comunidade escolar. Essa mudança é lenta e estrutural podendo levar anos de reformulações legais, pedagógicas e administrativas”, frisou.

A proposta segue agora para sanção do governador.

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here