quinta-feira, 18 julho 2024
- Publicidade -
HomePolíticaGilmar insiste em acusar Moro e a Lava Jato

Gilmar insiste em acusar Moro e a Lava Jato

Date:

Related stories

Sancionada Lei que cria os Conselhos de Juventude do DF

A Lei 7.529/2024, sancionada pelo GDF, foi apresentada pela...

Israel aprova resolução contra criação de Estado palestino

Texto obteve 68 votos a favor, em um Parlamento...

Haddad antecipa anúncio e diz que governo vai congelar R$ 15 bi em despesas

“São R$ 3,8 bilhões de contingenciamento e R$ 11,2...
spot_img

Gilmar Mendes tem dado mais entrevistas do que Lula.

No programa de Pedro Bial, ele repetiu mais uma vez que considera Sergio Moro suspeito no caso do chefe da ORCRIM:

“Vamos ter de executar com muito cuidado, há a impressão de que há muitos vícios, eu tenho dito que o Lula merece um julgamento justo. Tudo isso que vem se revelando de fato mostra suspeita sobre esse caso. Estou estudando. Vamos ter capítulo sobre o eventual significado da Vaza Jato, o eventual aproveitamento ou não de prova ilícita nesta questão”.

Gilmar Mendes, entrevistado por Pedro Bial, disse:

“Houve um lavajatismo militante da mídia. E ficamos como os bandidos da história”.

Não há a menor dúvida sobre isso: Gilmar Mendes e seus parceiros ficaram como os bandidos da história.

“Moro chegou ao governo quase que como um primeiro-ministro. Depois ele virou esse personagem que o Bolsonaro leva para o jogo do Flamengo. Ele está precisando do Bolsonaro. Antes o Bolsonaro precisava dele, depois ele passa a precisar do Bolsonaro”.

Gilmar Mendes está à vontade para esmagar a Lava Jato porque despreza o poder de Sergio Moro.

Ele repetiu que determinados ministros do STF têm “fetiche sexual” por investigadores:

“O que digo é que de fato nós devemos ter muito cuidado nessas relações com policiais, procuradores, podemos até ter fetiches sexuais, mas não nos envolver com suas teses”.

A sutileza de Gilmar Mendes sempre foi reconhecida.

De qualquer maneira, seria bom que os ministros do STF tivessem cuidado também ao se relacionarem com corruptos e corruptores, e que não inventassem teses para tirá-los da cadeia.

Enquanto isso, Sergio Moro esteve ontem à noite na sede da Fiesp, em São Paulo, e foi aplaudido de pé por uma plateia de quase 500 empresários.

O ministro da Justiça e Segurança Pública assinou um termo de cooperação técnica com a entidade presidida por Paulo Skaf.

Entre os itens do acordo, está um programa que deve oferecer capacitação profissional a detentos e egressos do sistema prisional, por intermédio do Senai.

O ministério e a Fiesp também vão trocar informações e promover estudos sobre temas como pirataria e combate e prevenção ao roubo de cargas.

“Temos a percepção de que precisamos incorporar no setor público o dinamismo que existe no setor privado. Ambos os lados podem ganhar muito”, disse Moro aos empresários.

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here