sábado, 15 junho 2024
- Publicidade - spot_img
HomePolíticaGilmar Mendes diz que Moro e Dallagnol cometeram crime de "tortura"

Gilmar Mendes diz que Moro e Dallagnol cometeram crime de “tortura”

Date:

Related stories

Suspeito de feminicídio já foi preso por homicídio e crimes sexuais

Wederson Aparecido Ananias de Moura, 36 anos, é considerado...

Em polêmica dos hospitais, CLDF publica nota contra CFM: “Intimidação”

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) emitiu nota...

Vítima de feminicídio morreu esfaqueada na frente do filho, de 4 anos

Oitava vítima de feminicídio no Distrito Federal em 2024,...

Feminicídio: saiba quem é a mulher morta a facadas na frente do filho

Mãe de três filhos, Jainia Delfina de Assis, 42...

Ciclistas relatam rotina de perigo em treinos no Parque da Cidade

Atletas profissionais de ciclismo e triathlon da capital federal...
spot_img

Ataques desenfreados de Gilmar Mendes à Lava Jato parecem ir além da esfera judicial

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou a criticar a Operação Lava Jato, nesta quarta-feira (02/10/2019), durante a sessão plenária. Segundo o magistrado, a força tarefa precisa “calçar as sandálias da humildade”.

“O resumo da ópera é que você não pode resolver o crime cometendo um crime. Ninguém pode se achar o ó do borogodó. Calcem as sandálias da humildade”, disparou o ministro.

Para Gilmar Mendes, o Brasil viveu “uma época de trevas no que diz respeito ao processo penal”. O ministro afirmou que o ex-juiz federal Sergio Moro e o coordenador da Lava Jato em Curitiba (PR), Deltan Dallagnol, usavam a prisão provisória como tortura.

“Hoje se sabe de maneira muito clara que usavam a prisão provisória como elemento de tortura. Isto aparece hoje nas declarações do site The Intercept, feitas por gente como Dallagnol e Moro”, declarou.

Comentário:

Às críticas de Gilmar Mendes beiram o ridículo. Além de usar informações obtidas de forma criminosa (hackeadas) que não possuem qualquer comprovação de autenticidade feita por autoridades públicas, o ministro faz deboche com o nome de Moro e Dallagnol, duas figuras extremamente respeitadas dentro e fora do Brasil pelo trabalho indiscutivelmente único feito através da Lava Jato.

Com ataques tão grotescos desse tipo, que está longe de ser o único, Gilmar Mendes vai enterrando a sua ética enquanto magistrado ocupante do maior cargo do poder judiciário no país. Pior ainda, o ministro vai deixando transparecer nas entrelinhas dos seus chiliques anti-Lava Jato algo pessoal, muito além da esfera jurídica, o que não é nada bom… para ele!

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here