sexta-feira, 19 julho 2024
- Publicidade -
HomeBrasília“Matei um porco”: homem que matou rival com 21 facadas é condenado

“Matei um porco”: homem que matou rival com 21 facadas é condenado

Date:

Related stories

Conselho vota indicação de faixa de pedestre a Patrimônio Cultural Imaterial

Decisão sobre reconhecimento será tomada nesta sexta (19), às...

Sancionada Lei que cria os Conselhos de Juventude do DF

A Lei 7.529/2024, sancionada pelo GDF, foi apresentada pela...

Israel aprova resolução contra criação de Estado palestino

Texto obteve 68 votos a favor, em um Parlamento...

Haddad antecipa anúncio e diz que governo vai congelar R$ 15 bi em despesas

“São R$ 3,8 bilhões de contingenciamento e R$ 11,2...
spot_img

Um homem acusado de matar um rival com 21 facadas foi condenado a 17 anos e 6 meses de prisão, informou o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). O crime foi cometido em 28 de novembro de 2022 após uma discussão banal na casa da vítima, na Fercal.

Segundo a acusação, naquele dia Roniglei Figueira de Souza conversava com a vítima até que passou a fazer provocações e a agir com violência. Ele teria tirado a roupa, ficado apenas de cueca e se jogado no chão. O dono da casa pediu várias vezes para que ele fosse embora de sua casa, sem sucesso.

Com medo de que acontecesse algo pior, a esposa da vítima, então, saiu para pedir ajuda ao primo do acusado. Quando voltou, porém, encontrou o marido já sem vida e ensanguentado no chão, com Roniglei por cima.

Questionado pela mulher e pelo primo sobre o que havia acontecido, Roniglei teria afirmado: “Matei um porco”.

“Desprezo pela vida humana”

A defesa de Roniglei pediu para que a pena fosse absolvida ou, ao menos, diminuída. A justificativa era de que ele teria cometido o crime sob domínio de violenta emoção, após provocação injusta da vítima. Também houve o pedido para que as circunstâncias qualificadoras do crime fossem afastadas.

Os sete jurados do Tribunal do Júri e Vara dos Delitos de Trânsito de Sobradinho decidiu pela condenação. A juíza Iracema Canabrava Rodrigues Botelho, que presidiu o júri, destacou o fato de que o assassino desferiu, no mínimo, 21 golpes com instrumento perfurocortante em regiões vitais da vítima.

Ela também pontuou o “desprezo pela vida humana” que Roniglei demonstra e decidiu que o condenado não poderá recorrer em liberdade.

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here