terça-feira, 25 junho 2024
- Publicidade -
HomeDestaquesVital Brazil e UFRJ testam soro para tratar covid-19

Vital Brazil e UFRJ testam soro para tratar covid-19

Date:

Related stories

APESAR DO AMPLO DOMÍNIO, BRASIL EMPATA COM A COSTA RICA

Seleção Brasileira criou várias chances, mas o placar não...

Tendas de acolhimento foram responsáveis por mais de 54 mil atendimentos

Nos próximos dias, estruturas localizadas na Asa Norte, Varjão...

Mortes no RS sobem para 178; 34 pessoas estão desaparecidas

Mais de 2 milhões de gaúchos foram afetados pelas...

Consumo de eletricidade do país aumenta 7,3% no primeiro trimestre

Classes residencial, comercial e industrial tiveram as maiores altas O...

Contas externas têm saldo negativo de US$ 3,4 bilhões em maio

Investimentos diretos somaram US$ 3 bilhões As contas externas do...
spot_img

Medicamento é do mesmo tipo dos usados contra a raiva

Pesquisadores do Instituto Vital Brazil e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) estão estudando um soro hiperimune que pode tratar a covid-19. Esse medicamento é do mesmo tipo daqueles usados contra a raiva e contra picada de animais peçonhentos.

O soro é feito a partir do plasma sanguíneo de cavalos. No caso dos soros antiveneno, o sangue equino produz agentes de defesa contra a toxina inoculada no corpo. A partir desse plasma com anticorpos, é criado o soro.

O mesmo processo é usado no soro contra a raiva, aplicado em pessoas que possivelmente tiveram contato com o vírus e que impede que o agente viral se manifeste no corpo do infectado.

No estudo contra o novo coronavírus, a UFRJ isolará e inativará o vírus, para que ele possa começar a ser inoculado em cavalos do Instituto Vital Brazil. O teste começa na próxima quarta-feira (27).

“Já vimos em muitas pesquisas realizadas pelo mundo em que o tratamento a partir do plasma de pessoas curadas da covid-19 teve efeito positivo no tratamento de infectados em estado grave. A ideia é fazer um experimento agora a partir do plasma de cavalos, para que possa ser produzido em grande escala”, afirma o presidente do instituto, Adilson Stolet.

Caso os resultados sejam promissores, daqui a quatro meses o soro poderá ser testado em humanos. Em seis meses, seria possível produzir o solo em grande escala. A capacidade do instituto é de produzir até 100 mil tratamentos por ano.

Outra pesquisa do Vital estuda anticorpos e DNA de lhamas. Com os dois estudos, é possível apostar no processo que der resultados mais rápidos.

(Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro. Imagem: iStock)

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here