sábado, 18 maio 2024
- Publicidade - spot_img
HomeDestaquePresidente da Feninfra diz que é vital que o senador Pacheco devolva...

Presidente da Feninfra diz que é vital que o senador Pacheco devolva de imediato MP que revê desoneração, caso governo descumpra acordo

Date:

Related stories

Imagens: carro em movimento pega fogo na Ponte do Bragueto

Uma motorista de 65 anos passou por momentos de...

DF: Ibaneis e autoridades participam de Festa do Divino Espírito Santo

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), participou...

Construção irregular derrubada pela DF Legal tinha até escritura falsa

A Secretaria DF Legal desarticulou, nessa sexta-feira (17/5), mais...

Vídeo: homem se muda e deixa cães para morrer em casa abandonada no DF

Equipes da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra os...

DF: ⁠briga entre moradores e condomínio irregular vira caso de Justiça

A ocupação de uma área pública de propriedade da...
spot_img

Vivien Mello Suruagy ressalta que a ampla maioria do Congresso já se mostrou
favorável à medida fiscal e alerta para a redução de empregos e investimentos

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, devolverá a Medida Provisória (MP) que acaba com a desoneração da folha de pagamento dos salários, caso o governo descumpra o acordo para substituí-la por outra que mantenha o incentivo fiscal. A estimativa é da presidente da Federação Nacional de Call Center, Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicações e de Informática (Feninfra), Vivien Mello Suruagy. “Precisamos resolver em definitivo essa questão. O Brasil impõe um dos maiores impostos do mundo sobre a massa salarial, o que inibe a geração de empregos e investimentos”, argumenta. “No nosso setor de telecomunicações, sem a desoneração, teremos quebra de empresas e desemprego. Jovens em seu primeiro emprego e mães de família perderão o ganha pão, gerando uma crise social. Além disso, haverá um impacto negativo na expansão da conectividade”, alerta.

Vivien Suruagy lembra que a desoneração, desde que foi implementada, em 2011, foi essencial para a manutenção e geração dos empregos e, com isso, sempre teve o apoio da ampla maioria do Congresso, como nas votações do ano passado. “Os parlamentares, sensíveis à questão, estenderam a medida até 2027. Esperamos que o governo, dessa vez, também seja. O Brasil está olhando quem defende empresas e trabalhadores” ressalta.

A desoneração substitui a contribuição previdenciária patronal, de 20% sobre a folha de salários, por alíquotas de 1% a 4,5% sobre a receita bruta das empresas. Os 17 segmentos contemplados pelo projeto da desoneração da folha são: call center, comunicação, calçados, confecção e vestuário, construção civil, empresas de construção e obras de infraestrutura, couro, fabricação de veículos e carrocerias, máquinas e equipamentos, proteína animal, têxtil, tecnologia da informação, tecnologia de comunicação, projeto de circuitos integrados, transporte metroferroviário de passageiros, transporte rodoviário coletivo e transporte rodoviário de cargas.

PN

Assine

- Nunca perca uma história com notificações

- Obtenha acesso total ao nosso conteúdo premium

- Navegue gratuitamente em até 5 dispositivos ao mesmo tempo

Últimas notícias

-Publicidade -spot_img

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here